domingo, 30 de novembro de 2014

Sorte com a vizinhança, quem tem?

Diário de uma cearense que tem sorte com a vizinhança!

É muito chato ter vizinho chato.
Agora estou considerando a hipóstese de a culpa ser minha... muita gente até diria que eu posso estar atraindo pessoas assim.

Desde que casei, há mais de seis anos, temos a sorte de sempre ter um vizinho ou vizinha que se apropria demais do seu direito de liberdade.

Há alguns anos morávamos num apartamento pequeno (40m2), no mesmo bairro que moramos hoje. Era uma caixinha de fósforo, mas dava demais pra gente. Seria o paraíso se não fosse pela vizinhança.

Moravamos no primeiro andar de um condomínio gigante... Eram dois apartamentos por andar!

A minha vizinha do lado tinha um gosto duvidoso pra música (tecno brega era o mais comum). E não bastava ouvir alto, tinha que cantar a plenos pulmões.

Ela tinha uma cachorrinha linda, mas ela chamava a bichinha com uns nomes tão feios que eu imaginava que quando eu virava de costas a cadelinha virava uma criatura dos infernos.

A vizinha tinha duas filhas. Uma pequena e outra mocinha. Tanto a vizinha, como a filha mais velha, tinham o hábito de andar despidas dentro de casa, mesmo com a porta aberta. O pior é que até a minha sogra flagrou a nudez alheia numa das vezes em que ela foi nos visitar. Pense numa vergonha!

Ela frequentemente batia à minha porta querendo vender umas roupas... Aff!!! Eu dizia logo que não tinha como pagar... ela dava rabissaca e ia pra casa, batendo a porta forte pra demonstrar toda sua indgnação...

Mas não acaba por aí... tinham outros vizinhos legais!
Nesse condomínio a conta de consumo de água era rateada entre os moradores. Sem problemas... passamos 2 anos pagando uma taxa extremamente razoável. Um belo dia a taxa dobrou... Pensamos, ok! Deve ter sido uma situação atípica...

No terceiro mês triplicou, quase quadriplicou... Fui falar com a síndica pra saber o que houve. Ela não entendia o que estava acontecendo, então fomos falar com o meu vizinho do térreo.

Para o meu espanto o casal de Songa que morava lá estavam com um vazamento na torneira da pia há dois meses e acharam por bem não fazer nada! Ótimo! Muito bem... deixei a síndica fazendo o seu papel e fui pra casa.

Outro dia, descendo do prédio, percebi sacos de lixo na entrada do bloco... fiquei matutando de quem seria! Peguei o saco de lixo e fui deixar no lixão do condomínio...

E a mesma cena outro dia, outro dia, outro dia... uma semana! Ah!!!! Aguentei não. Fiquei igual a um siri numa lata.

Peguei minha valentia todinha, disse pro meu marido o que iria fazer e fiz. 

Fui na casa dos Songas, quando eles atenderam a porta eu meti o dedo na cara do Songa Macho e disse: "Há uma semana eu tenho visto lixo aqui na entrada do prédio. Vocês não tem vergonha? Será que vocês acham que este saco vai criar pernas e ir andando sozinha pro lixão? Vocês tem um bebê, querem rato e barata por aqui? Todo mundo deixa o seu lixo no canto certo pra se deixar, então vocês vão deixar também, ok?!"...

Resultado: nunca mais deixaram lixo na entrada do bloco. aff!! é um povo folgado demais.

Bom, saí do apartamento pra uma casa, na esperança de me livrar de vizinhos folgados... mas que nada! A minha vizinha do lado tem dia que encarna a DJ Cantorinha Taquara Rachada.

Algumas vezes não me importo, porque o gosto musical é até bonzinho, então se ela não canta tá tranquilo...

Mas hoje ela se superou! O repertório de hoje teve direito a "no seu colo sou um príncipe de sangue azul, vem cá meu bilu-bilu-bilu"... era qualquer coisa rídicula assim!!! 

Mesmo assim, estou no lucro com a minha vizinhança nova. A única coisa que me irrita é o tal do "bilu-bilu-bilu". Mas acho que não tem vizinhança perfeita.  :P

Nenhum comentário:

Postar um comentário