segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Primeiro dia sem Lorena

Diário de uma cearense de coração partido.

O dia nasceu. Até o sol pediu desculpas pelo incômodo. Como poderia raiar sem um dos seus mais belos feixes de luz?

As cores empalideceram. Não houve razão para cintilar, tamanha a tristeza que enchia o peito.

Pranto, dor e luto. Corações partidos, despedaçados e dilacerados... tentando, num esforço sobreumano, se unir como se fossem um só. Na esperança de que as boas lembranças com você reduzam a dor de te perder.

Nao me conformo. O que dói mais é perceber a sua ausência. A saudade do sorriso, que agora se apaga. E aquelas as histórias toscas que deixaremos de compartilhar...

Sua alma descansa nos braços do papai do céu, em paz, no seu novo lar.

sábado, 27 de maio de 2017

O valor do aprendizado

O aprendizado contínuo é fundamental para  tornar-se preparado... O aprendizado contínuo mantém a mente viva.

O aprendizado é o lifting da memória. É botox pra enxertar as ideias. É a fonte da juventude,  sem deixar perder a grandeza da maturidade dos muitos dias vividos.

O aprendizado é a renovação do ser... é a assimilação do pensamento socrático... É a admiração inocente de se encantar com o novo.

O aprendizado é o delírio do poeta. Aquele que interpreta a sua experiência e a descreve com cativante maestria. Ou ainda do artista, que traduz com harmonia a beleza do que conquistou na sua lida.

O aprendizado contínuo é movimento. É ação. Pouco se aprende na inércia. Afinal, ele é rigoroso. Exige esforço, exige negação.

O aprendizado, por conclusão, deve ser contínuo, deve ser infinito... deve fazer desejar ver ansiosamente os próximos capítulos. Deve me envolver nos seus desafios...

E, por fim, o aprendizado  deve me ajudar a respirar outros ares, me permitir conhecer outros mundos...  Deve me afastar do obscuro e me libertar da armadilha de aceitar as imposições dos tolos... Deve me alicerçar para a construção da minha própria história.

domingo, 14 de maio de 2017

Feliz Dia das Mães

Mães não são perfeitas.
Mães são inseguras, muitas vezes...
Mães não são superpoderosas...
O que nos torna especial é o amor. 

O amor... O poderoso amor.
Sentimento mais divino e puro.
O amor, imenso amor...
Que nos faz vencer o medo.
Que nos faz lutar com intensidade...

É o amor que nos torna grandes.
É o amor que nos enlaça.
É o amor que nos torna fortes.
É o amor que nos faz ser melhor.

E é o amor que nos define.
Mãe. Filha. Amor...

Feliz dia das mães!

sábado, 2 de julho de 2016

Laís

No olhar um enigma.
No sorriso a doçura.
No seu choro a minha angústia.
Minha menina, meu amor.

A cada dia uma surpresa.
Toda brincadeira uma aventura.
Enche a casa de beleza.
Minha boneca, meu humor.

O teu cheiro me preenche.
Completa a minha alma de ternura.
Me ensina a ser paciente.
Minha doçura, minha flor.

Te fazer feliz é meu objetivo.
Te educar é minha missão.
Te amar é o meu destino.
Minha filha, minha paixão. 

sábado, 11 de junho de 2016

Eu queria ser uma princesa

Diário de uma cearense lembrando da infância...

Quando eu era criança eu queria ser uma princesa. Mas logo percebi que elas eram muito chatas, enfadonhas e previsíveis.

Não era o meu desejo passar o dia cantarolando para os passarinhos, com um jeito de andar que mais parecia ter nojo do chão. Ou ainda manter as roupas e cabelos sempre arrumados e impecáveis.

Eu queria ser a princesa moleca. Aquela que caía da bicicleta. que jogava bola com os meninos da rua... que se gabava das cicatrizes das traquinagens. Andar de short, chinelo e camiseta... nada de saia, vestido ou melissinha. 

Eu queria ser uma princesa valente. Nada de ser vítima, mas ser uma destemida heroína. Nada de ser frágil, nem sensível. Mas independente, forte e ousada.

Depois de tantos anos percebi que eu fui esta menina princesa. Eu que ainda a sou. E que irei ser até o fim da minha vida. Uma princesa fora dos padrões. Determinada a viver a vida à minha maneira. Encontrando sempre uma forma de fazer uma brincadeira.

Afinal, pra mim, viver tem que ser divertido... até no que é obrigação dá pra encontrar alegria. E vai ser assim até o dia em que se encerrar esta vida cheia de fantasia.

sábado, 2 de abril de 2016

Minha vida de mãe

Diário de uma cearense nascendo como mãe:

Quando eu era criança tinha certeza de que meus pais tinham superpoderes. Que dominavam a arte de saber de tudo. E que certamente tinham consciência de que foram dotados de domínio próprio para exercerem o papel de meu porto seguro.

Incoscientemente eu achava que quando fosse mãe iria adquirir estes dons. Entretanto, ainda me percebo com a mesma insegurança de sempre. Com aquele maldito medo de não acertar. Com a angústia de não ser boa o suficiente.

Olho pra minha pequena e me vejo cercada de amor e de dúvidas. É nessa hora que não sei quem é mais frágil. Se ela pela imaturidade dos dias, ou se eu, pela imaturidade da vida.

Olho pra ela e vejo o olhar da minha mãe pra mim. Imagino todas as sensações que ela teve e que estou tendo agora. E eu entendo seus anseios. Eu entendo suas reações.

Ser mãe também é como estar perdida num mundo em que se tem obrigação de ser herói. É como ser menina e ter um universo todo novo pra dar conta.

Ela depende de mim. Meu bebê precisa de mim. Ela espera por mim. Eu preciso estar pronta. Preciso ter as respostas...

E onde eu me apóio? Quem vai me salvar? Quem vai me socorrer? Quem vai me proteger de mim?

Inseguranças, perguntas, medos, anseios, angústias... solidão...

Que não se ofendam meus queridos, meus pais,  irmãos, meu marido. Não depende de vós o alívio pra este tormento.

Esta é a dor do meu renascimento. É  a dor de crescimento de que a minha alma necessita padecer. Para assim surgir uma mãe em mim.

sábado, 26 de março de 2016

Seu primeiro Mesversário

Diário de uma cearense mãe que escreve uma cartinha pra sua filha...

Filha,

Hoje, 26.03.16, você faz um mês de vida. Você faz um mês praticamente no dia em que era pra você nascer.
O dia de hoje traz muito significado pra nós. Principalmente porque sobrevivemos!!! E isto você só vai entender quando for mamãe também.

Algumas amigas minhas, e isso está "na moda", fizeram festas de mesversário para os seus bebês. Bom, mas como você já deverá saber, eu não sou muito de cerimônias... e se eu tivesse em condições físicas de organizar uma festinha poderia até ser. Mas nãoooo! Estou fisicamente arrasada, mas emocionalmente apaixonada por você.

Se eu pudesse escolher como eu gostaria de comemorar o seu mesversário eu comemoraria de uma forma diferente. Pra você nem faz tanta diferença, mas pra mim faria toda.

Eu escolheria tomar um banho demorado, daqueles de tirar o ceroto do mês todinho. Ou pentear os cabelos e fazer uma escova, pra não ficar com cara de medusa, com estes cabelos arrepiados (sinceridade, não sei como você não se assusta, mas seu pai anda muito assustado).

Ou, quem sabe, escolheria mastigar a comida antes de engolir... Isso seria legal! ou melhor, conseguir terminar uma refeição antes de você começar a chorar!

Ou ainda dormir uma noite inteira... Ah!!! tantas coisas! Muitas coisas!

Mas dentre as inúmeras escolhas, a melhor forma de comemorar o seu primeiro mês de vida, hoje e em quaisquer outros meses e anos que vierem, será te amando, te abraçando, te cheirando... te ninando, te cuidando. Não vejo opção mais agradável. Não vejo nada mais prazeroso...

Te amar é o melhor presente.