terça-feira, 18 de novembro de 2014

Férias em Bonito - o passeio de quadriciclo

Diário de uma cearense de férias. Parte 8

Passeio de quadriciclo.

Sei nem por onde começar a falar desta experiência!
Quando estava escolhendo os passeios esse foi um dos que me saltaram os olhos. 
Fiquei me sentindo... Acho que foi um dos primeiros que decidi fazer!

Me imaginei ganhando o cerrado pilotando livremente um veículo que é mais estável que uma moto e mais ousado que um carro.

No site dizia que o quadriciclo chegava até 80km/h... Pense numa empolgação!

A única coisa que não tinha pensado era como iria dominar este tão arredio veículo!

Nos primeiros 10 segundos do passeio o instrutor te ensina a passar marchas, como engatar a ré, onde são os freios. Pronto! E com mais 20 segundos em campo aberto pro exame de "rua" você está habilitado na categoria... Ah! Coitado!

Então, orientações dadas, seguimos a viagem. Deixei os companheiros irem na frente e fui no meu tempo... Na lanterninha. No stress! Enjoying every second!

Aquela m@&$:**^^** (palavrão grande mesmo), não ajuda. O acelerador é como em  passador de marchas de bicicleta, só que apenas do lado direito. Até o meu cérebro processar isso foi meio ridículo. A marcha se passa puxando o pedal pra cima (aumentar) e empurrando o pedal pra baixo (reduzir)...  A ré é um mistério...

Nota: seqüência da ré - reduz a marcha até acender uma luz verde, pressiona um botão vermelho, puxa uma alavanca que parece um freio e aperta o pedal ao mesmo tempo. Pra sair solta tudo e acelera.

Óbvio que, loira como sou, esse foi um dos maiores desafios!

Depois de meia hora aprendi a mover o troço. Pesado do caramba pra deixar estável em linha reta num terreno acidentado.

Como sou "de boa" logo comecei a curtir o passeio... Curva aqui, reta acolá. Terreno plano, terreno acidentado. Campo aberto, espaço entre árvores bem estreito... Delicia! 

E, de repente, do nada mesmo, nasceu uma árvore no meu caminho! E eu nem bebi nadinha... Estava sóbria! Mas por sorte consegui freiar antes do impacto! Faço uma manobra de mestre e, ufa! Ninguém viu... Saímos ilesos, eu, o quadriciclo e a árvore do caminho.

Mas não fiquem tão aliviados assim, alguns metros depois, em campo aberto, fui fazer uma manobra radical e a bendita da motoca me fez descer ribanceira abaixo.

Pense num mico. A bichona estancou numa moita de mato maior que eu. Fiquei com cara de anta esperando o instrutor me salvar... Quando ele chegou, viu a situação e disse que dava pra sair de ré! 

Eu disse "de ré? Tu acha que eu lembro? Mais fácil é decorar a seqüência de fibonacci que lembrar do algoritmo da ré!" 

Ele olhou pra mim com aquela cara! Aquela... Aquela cara que chama você de "é burrinha, mas é engraçadinha". Eu interrompo o seu momento de escárnio e digo que se ele rir vai apanhar... Aí é que a criatura riu mesmo!

Conclusão: ele tirou o quadriciclo do buraco, eu continuei dirigindo por mais um bom tempo...

Depois descobri que o cara que eu ameacei bater por causa de uma quedinha boba no mato é só o campeão estadual de MMA, faixa preta de Taekwondo, faixa roxa de karatê, e o resto do arco-íris todinho em jiu-jitsu, king fu e Muay Thai...

Putz! Se eu soubesse disso antes eu tinha era contado um monte de piada pra ele! Osssss!

Tava ameaçando uma fera e nem sabia...

Bonito tem dessas!



Nenhum comentário:

Postar um comentário