sábado, 2 de julho de 2016

Laís

No olhar um enigma.
No sorriso a doçura.
No seu choro a minha angústia.
Minha menina, meu amor.

A cada dia uma surpresa.
Toda brincadeira uma aventura.
Enche a casa de beleza.
Minha boneca, meu humor.

O teu cheiro me preenche.
Completa a minha alma de ternura.
Me ensina a ser paciente.
Minha doçura, minha flor.

Te fazer feliz é meu objetivo.
Te educar é minha missão.
Te amar é o meu destino.
Minha filha, minha paixão. 

sábado, 11 de junho de 2016

Eu queria ser uma princesa

Diário de uma cearense lembrando da infância...

Quando eu era criança eu queria ser uma princesa. Mas logo percebi que elas eram muito chatas, enfadonhas e previsíveis.

Não era o meu desejo passar o dia cantarolando para os passarinhos, com um jeito de andar que mais parecia ter nojo do chão. Ou ainda manter as roupas e cabelos sempre arrumados e impecáveis.

Eu queria ser a princesa moleca. Aquela que caía da bicicleta. que jogava bola com os meninos da rua... que se gabava das cicatrizes das traquinagens. Andar de short, chinelo e camiseta... nada de saia, vestido ou melissinha. 

Eu queria ser uma princesa valente. Nada de ser vítima, mas ser uma destemida heroína. Nada de ser frágil, nem sensível. Mas independente, forte e ousada.

Depois de tantos anos percebi que eu fui esta menina princesa. Eu que ainda a sou. E que irei ser até o fim da minha vida. Uma princesa fora dos padrões. Determinada a viver a vida à minha maneira. Encontrando sempre uma forma de fazer uma brincadeira.

Afinal, pra mim, viver tem que ser divertido... até no que é obrigação dá pra encontrar alegria. E vai ser assim até o dia em que se encerrar esta vida cheia de fantasia.

sábado, 2 de abril de 2016

Minha vida de mãe

Diário de uma cearense nascendo como mãe:

Quando eu era criança tinha certeza de que meus pais tinham superpoderes. Que dominavam a arte de saber de tudo. E que certamente tinham consciência de que foram dotados de domínio próprio para exercerem o papel de meu porto seguro.

Incoscientemente eu achava que quando fosse mãe iria adquirir estes dons. Entretanto, ainda me percebo com a mesma insegurança de sempre. Com aquele maldito medo de não acertar. Com a angústia de não ser boa o suficiente.

Olho pra minha pequena e me vejo cercada de amor e de dúvidas. É nessa hora que não sei quem é mais frágil. Se ela pela imaturidade dos dias, ou se eu, pela imaturidade da vida.

Olho pra ela e vejo o olhar da minha mãe pra mim. Imagino todas as sensações que ela teve e que estou tendo agora. E eu entendo seus anseios. Eu entendo suas reações.

Ser mãe também é como estar perdida num mundo em que se tem obrigação de ser herói. É como ser menina e ter um universo todo novo pra dar conta.

Ela depende de mim. Meu bebê precisa de mim. Ela espera por mim. Eu preciso estar pronta. Preciso ter as respostas...

E onde eu me apóio? Quem vai me salvar? Quem vai me socorrer? Quem vai me proteger de mim?

Inseguranças, perguntas, medos, anseios, angústias... solidão...

Que não se ofendam meus queridos, meus pais,  irmãos, meu marido. Não depende de vós o alívio pra este tormento.

Esta é a dor do meu renascimento. É  a dor de crescimento de que a minha alma necessita padecer. Para assim surgir uma mãe em mim.

sábado, 26 de março de 2016

Seu primeiro Mesversário

Diário de uma cearense mãe que escreve uma cartinha pra sua filha...

Filha,

Hoje, 26.03.16, você faz um mês de vida. Você faz um mês praticamente no dia em que era pra você nascer.
O dia de hoje traz muito significado pra nós. Principalmente porque sobrevivemos!!! E isto você só vai entender quando for mamãe também.

Algumas amigas minhas, e isso está "na moda", fizeram festas de mesversário para os seus bebês. Bom, mas como você já deverá saber, eu não sou muito de cerimônias... e se eu tivesse em condições físicas de organizar uma festinha poderia até ser. Mas nãoooo! Estou fisicamente arrasada, mas emocionalmente apaixonada por você.

Se eu pudesse escolher como eu gostaria de comemorar o seu mesversário eu comemoraria de uma forma diferente. Pra você nem faz tanta diferença, mas pra mim faria toda.

Eu escolheria tomar um banho demorado, daqueles de tirar o ceroto do mês todinho. Ou pentear os cabelos e fazer uma escova, pra não ficar com cara de medusa, com estes cabelos arrepiados (sinceridade, não sei como você não se assusta, mas seu pai anda muito assustado).

Ou, quem sabe, escolheria mastigar a comida antes de engolir... Isso seria legal! ou melhor, conseguir terminar uma refeição antes de você começar a chorar!

Ou ainda dormir uma noite inteira... Ah!!! tantas coisas! Muitas coisas!

Mas dentre as inúmeras escolhas, a melhor forma de comemorar o seu primeiro mês de vida, hoje e em quaisquer outros meses e anos que vierem, será te amando, te abraçando, te cheirando... te ninando, te cuidando. Não vejo opção mais agradável. Não vejo nada mais prazeroso...

Te amar é o melhor presente.


domingo, 13 de março de 2016

Na véspera do dia 13.03.16

Diário de uma cearense imaginando um diálogo.

Enquanto isso, na suíte Master...

- Mãe, o que a gente vai fazer neste domingo?
- Ah! Filho, nós vamos participar da manifestação.
- Legal! Mas o que a gente faz na manifestação?
- Muito fácil! A gente fica uma meia hora lá, fala umas palavras de ordem, dança uma a dancinha depois a gente vai pro shopping almoçar.
- Hummm… almoçar aonde?
- No outback,  meu amor. com o país em crise a gente não pode ostentar.
- Mãe, qual o motivo da manifestação?
- Filho, contra a corrupção deste governo.
- Interessante! Então se a senhora vai pra lá pra lutar contra a corrupção vai precisar devolver o dinheiro que o taxista te deu a mais de troco, né?
- Não filho, não tenho culpa se aquele taxista é lesado e me deu dinheiro a mais.
- Mãe, eu vi na TV os trabalhadores se manifestando e era diferente. Eles acamparam no prédio do governo e só saíram de lá quando resolveram seus problemas. Eles almoçaram de quentinha, que um carro mandou deixar. Por que a nossa manifestação é diferente?
- Ahhhh, meu filho… porque eles são pobres e precisam lutar pelos seus direitos. Dê Graças a Deus que nós somos ricos e os seus direitos estão garantidos com o dinheiro do papai e da mamãe. Agora chega de perguntas,  mamãe tem que escolher a roupa e as jóias pra usar amanhã.

quarta-feira, 9 de março de 2016

Lições de vida com Candy Crush

Diário de uma cearense que amamenta jogando candy crush saga...

Com o advento do nascimento da Laís e, consequentemente,  com sua fome avassaladora, passo muito tempo amamentando. Não sou muito de ver TV... por isso, tive que encontrar um passatempo adequado para os no mínimo 50 minutos de mamada por vez.

Candy Crush tem sido um ótimo passatempo, concorda comigo a minha amiga Roselany, que vivencia a mesma experiência e me ajudou na indicação do game.

Vamos lá. Aprendi com Candy Crush que:

1. Ajudar alguém é de graça. Não precisa muito esforço pra enviar uma vida, movimentos extras, ou ainda, destravar um novo episódio.

2. Há fases que são difíceis, outras são chatas... mas sempre tem uma fase gostosa de se jogar entre elas.

3. Não adianta ter muitos boosters, ou movimentos extras, se você não tem uma vida.

4. O chocolate nem sempre é um grande vilão. Ele pode ser seu amigo se melar uma bomba prestes a explodir!

5. O jogo, às vezes, te permite conquistar boosters. Você tem que, no mínimo,  se esforçar.

6. Aquela coruja é perturbada. Mas mostra que o segredo é  o equilíbrio.

7. Quando você pensa que já viu todos os tipos de armadilhas ou bônus do jogo aparece um totalmente novo. 

8. Você vai ficar viciado. Cuidado com a síndrome de abstinência quando acabarem as 5 vidas.

9. Passar de fase dá um gostinho especial de vitória.

10. Veja o exemplo do sapinho.  Ele come doces até virar uma bolota... isso pode ser legal pra ele, mas na vida real não é!

Você pode completar esta lista.  Qual a lição que você aprendeu jogando Candy Crush?
😛😜😝

segunda-feira, 7 de março de 2016

Meu encanto...

Diário de uma cearense apaixonada...

Fico te obsevando sem cansar, sem me distrair. Imaginando como será o teu futuro, me deliciando com a ternura do teu presente.

Fico te observando e pedindo pra Deus pra não esquecer...
Do seu rosto, do seu cheiro, do seu jeito...
Porque logo tudo irá mudar, você vai crescer e um dia de mim não mais precisar.

E eu vou continuar te observando, te amando e me encantando.

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

A menina que tinha pressa de nascer...

Diário de uma cearense de resguardo...

Como era de se advinhar, e ainda sendo minha filha, Laís não poderia nascer sem gerar um espetáculo à sua volta. Poderia ter sido normal, como a maioria dos partos são. Prenatal, marca o parto, ou espera entrar em trabalho de parto... normal! Mas pra ela não!!! Já nasceu sendo como a mãe, "diferentona".

E ela nasceu. E a história do seu nascimento é cercada por milagres e providências divinas.

A minha gestação foi muito saudável. Ganhei o peso certo,  tomava vitaminas, fiz exercícios... descansei. Tuuuudo nos mínimos detalhes. Todos os exames perfeitos, pressão arterial de adolescente, nada de inchaço, um bênção.

Estava tudo certo pra que ela nascesse até 30 de março. Mas ela achou que iria demorar muito e resolveu nascer mais cedo.

No dia 26.02 estava marcado o prenatal de rotina. Quando o médico examinou constatou que havia reduzido consideravelmente o líquido amniótico. Ele pediu pra observar, beber muita água e fazer repouso total. Além disso, teria que voltar no dia 29 pra avaliar novamente.

E Laís pensou: "só que não,  dr. Eu vou nascer hoje!"

Ainda durante a tarde do dia 26 percebi que estava urinando muito. E resolvi ligar pro obstetra. Não consegui falar com ele nas primeiras tentativas. Porque estava fazendo alguns partos. Alguns mesmo.

Terminada a saga de partos ligo pro obstetra, explico a ele o que eu estava sentindo. E ele pede pra que vá ao hospital fazer uns exames.

A suspeita era de infecção urinária. Uma complicação, mas dava pra resolver.

Segui para o hospital, com pressa, do jeito que estava. Quando eu cheguei o obstetra estava só me esperando, exausto!

Começou a me examinar e me deu uma guia pra fazer exame de urina. Quando, por uma inspiração divina, associada à sua experiência profissional,  ele decidiu que era bom operar logo.

Perguntei se iria pro apartamento me internar pra operar no outro dia... pro meu espanto ele me respondeu: "não! Você vai ter bebê é agora."

Juro que faltou ar. O desespero quis aparecer... e até deu um pouco as suas caras.

Fiquei preocupada com a menina, preocupada porque não estava em jejum, preocupada porque as malas tinham ficado em casa... preocupada porque não tinha nem dado entrada no hospital... minha cabeça ficou a mil por hora em poucos minutos. Eu achei que ia desmaiar, mas resisti.

Na sala de cirurgia, tudo correndo como o protocolo pede... Laís surge. Com 35 semanas e 5 dias, 2.495 kg e 46 cm.

Ainda meio grogue ouço o médico dizer: "ainda bem. Ela não tinha mais nenhuma gota de líquido amniótico. Se nascesse amanhã a história dela seria outra."

Pra glória de Deus Laís nasceu perfeita. Não foi pra UTI, não foi pra encubadora e agora está em casa começando a curtir sua vida do lado dos pais, tios, avós e amigos...

sábado, 23 de janeiro de 2016

Palavras presas

Diário de uma cearense que precisa falar...

Não sou de chorar com facilidade. Minhas emoções extravaso nas palavras liberadas dos meus pensamentos.

O que me acontece, normalmente, me deixa com a sensação de palavras presas, querendo fugir de alguma forma. Seja da forma escrita, seja da forma falada... porque dificilmente as minhas emoções se transformam em lágrimas, estas ficam retidas, me afogando em pensamentos recorrentes.

E as palavras são meio sacanas comigo. São minhas as palavras, poderia continuar deixando-as guardadas e quietas... Mas enquanto não as libero elas me sufocam. Fazem um motim na minha cabeça. Não me deixam em paz. Fico refém delas, dias e dias... até vomitar letra por letra.

Palavras presas fazem mal pro meu estômago, palavras presas deixam o meu sono inquieto... palavras presas me deixam a cabeça tonta e latejando... palavras presas deixam minha boca amargando.

Então as compartilho. Vezes pra quem quiser saber, outras em particular... e a minha alma se acalma!!! E então posso dormir tranquila. Libero minha mente pra que outras palavras venham tomar lugar, para que outras emoções sejam digeridas, vividas, presas e liberadas.








Um chá-churrasco à francesa

Diário de uma cearense muito feliz...

Já tínhamos até desistido de fazer um chá de fraldas pra nossa Laís, por diversos motivos pessoais que não farão tanta diferença citar agora.  Entretanto, como diz o dito popular, "quem tem amigos tem tudo". E é uma verdade de verdade. 

Bom, mas antes eu vou explicar o porquê do título.
Meu irmão mais novo casou-se em 2013 com uma linda francesinha de Toulouse, de família do território de Belfort. Eu e mais 12 brasileiros (entre família e amigos) fomos prestigiar o evento... 

Fomos com uma expectativa diferente da realidade que encontramos. O que me surpreendeu demais, de forma positiva. 

Havia uma simplicidade, uma cortesia e um carinho todo diferenciado na preparação da cerimônia. Vou relatar as que me lembro: 

01 - Os toldos para a recepção pós-cerimônia são montados pelos homens da família. Enquanto os noivos fazem as sua fotos românticas...

02 - A decoração é rústica, feita pelas mulheres da família. Que não compram rosas caras, elas colhem nos seus jardins. Nem ao menos contratam cerimonialistas, as coisas acontecem de forma simples e aconchegante.  Todo mundo faz alguma coisa. Eu mesmo ajudei a montar a escultura de marshmallow, algumas lembrancinhas e ainda fiz cabelo e maquiagem de um monte de mulher... 
E pra variar... ainda paguei de cantora chorona... :)    

03 - Os músicos são os amigos e familiares... e não precisa necessariamente ser profissional para prestar a sua homenagem. Basta querer homenagear o casal.

O que mais me encantou foi o fato de ter uma parte de cada um naquele momento tão importante pro meu mano e pra minha cunhadinha... Tudo simples, mas encantador. Muito emocionante.

Bom, voltando agora, assim também foi o chá de fraldas da Laís, minha princesinha. De repente minha cunhada sugere fazer um churrasco na casa dela. Coisa simples... mas as pessoas foram se engajando, foram levando o seu carinho... 

Quando olhei ao meu redor tinha uma decoração espetacular, feita por mãos habilidosamente abençoadas... Daí apareceram as trufas de chocolate, os brownies caseiros, o naked cake... e tinha o mestre churrasqueiro-DJ...  e gente montando mesas e cadeiras, e fazendo arroz, e trazendo baião de dois, e a farofa, e a salada... refrigerante, suco. Tinha até fotografo profissional (quando chegarem as fotos eu publico)...

E cada um estava comigo, e eu estava feliz... e eu estou feliz. Eu não teria feito melhor, nem mais a minha cara... nem de forma mais completa, simples e delicada...

Só tenho duas coisas a mais pra dizer:

01 - Eu sou muito abençoada por ter pessoas tão maravilhosas na minha vida;
02 - Minha filha é chique... o chá de fraldas dela foi à francesa!

OBS.: Senti falta de alguns amigos queridos que não estiveram lá... Principalmente, senti muita falta dos meus franceses lindos, Levi e Rachel!!!!

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Você ainda nem nasceu...

Diário de uma cearense esperando um bebê...

Filha,

Você ainda nem nasceu e já penso em você o tempo todo.
Você ainda nem nasceu e já me deixa completamente descabelada e com cara de cansada.
Você ainda nem nasceu e eu já tenho que cuidar da sua alimentação.
Você ainda nem nasceu e já me deixa sem ar...
Você ainda nem nasceu e eu já não durmo como antes.
Você ainda nem nasceu e já me acorda às 5h, depois 8h, depois 10h, depois 12h, depois 16h... só pra me avisar que está com fome...
Você ainda nem nasceu e já me faz compreender as preocupações da minha mãe...
Você ainda nem nasceu e eu já me sinto mais forte.
Você ainda nem nasceu e eu já faço orações pela sua vida todas as noites.
Você ainda nem nasceu e eu só consigo lhe desejar coisas boas.
Você ainda nem nasceu e já me emociona.
Você ainda nem nasceu e já me inspira.
Você ainda nem nasceu e já me completa.
Você ainda nem nasceu e eu já tenho orgulho de ser sua mãe.
Você ainda nem nasceu e já é o meu maior tesouro.
Você ainda nem nasceu e não consigo mais me imaginar sem você.

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

E ainda vai piorar...

Diário de uma cearense cheia de esperança:

Eu tenho narcolepsia,  fiz redução de estômago. Por isso, algumas coisas na minha gestação acabam acontecendo ou mais cedo, ou de forma diferente.

1. Durmo umas 14 horas por dia, ou mais. 2. Como praticamente de 2 em 2 horas, ou menos.
3. Com 7 meses de gestação voltei a vomitar, voltei a ter enxaqueca.
4. Andar 5 quarteirões me deixa exausta.
5. Tenho falta de ar, refluxo, dor nas costas. Dor no ciático.
6. Choro como quem descasca cebola assistindo coisas de mãe e filho.
7. A digestão está mais lenta... a azia apareceu.
8. Levanto como se estivesse levantando um armário junto comigo.
9. Minha glicemia as vezes fica muito baixa.
10. Estou esquecida, lenta e lesada... pesada!

Mas não importa. Pra minha esperança  tudo o que eu digo que estou sentindo o povo diz "você ainda não viu foi nada..."

:p