domingo, 1 de março de 2015

O curso de 6 sigma

Diário de uma cearense no Rio: o dia da prova...

Uma galera esteve comigo em Niterói-RJ para um curso de 6 sigma. Um experiência muito interessante.

Tudo começou não no dia da prova, mas nos dias que antecederam a ela...

Pânico generalizado. Imagine você passar 8 horas por dia ouvindo sobre ferramentas e análises estatísticas. E, pra completar, ainda saber que no último dia você vai fazer uma prova pra validar uma certificação, de nota mínima 7! Tenso, muito tenso...

Primeiro a gente começou a achar que era terrorismo, uma estratégia pra fazer a turma focar na aula. Deu certo, todos estávamos comprometidos em prestar o máximo de atenção em tudo...

Depois as coisas foram piorando. Somos apresentados a milhares de novos termos, novas técnicas, novas palavras... Uma verdadeira sopa de letrinhas pra deixar confusa qualquer mente, mesmo que brilhante.

Vejam só: DMAIC, ARMI, MPPI, Zst, Zlt, Z-Bench, sigma, variância, desvio padrão, capabilidade, ANOVA, 2-samplet, test-f, Levene... Aff! Coisa de doido!

O professor, que registro aqui que é de uma didática excepcional, tentou incansavelmente mostrar como era fácil. Acredito até que obteve sucesso, mesmo quando alguém perguntava aonde que era pra colocar o 1,5 pra virar o nivel sigma...

Mas nem tudo foi tão complicado, também teve momentos de diversão, de troca de experiência, de insights! Muito legal... A integração foi um fator diferencial deste curso, tanto que, na véspera da prova fizemos um happy hour com o professor...

Meu único medo era que eu tivesse que fazer um teste de normalidade e acabasse comprovando que não pertenço a uma distribuição normal...

Pra quem sabe o que estou falando, eu posso até não ser normal, mas com certeza eu sou um X vital!

Nenhum comentário:

Postar um comentário