domingo, 1 de março de 2015

Diálogos e experiências de primeira viagem pro RJ

Diário de um cearense no rio: 

Diálogo 1
Daniel diz "Bebinha, aqui é o Centro?", "não, amor, é Ipanena."
"Bebinha, aqui é o centro?", "não amor, é Botafogo."
"Bebinha, aqui é o Centro?", "não amor, aqui é o Catete." 
"Arre égua, todo canto aqui parece o Centro"

Diálogo 2
"Moço, quanto é esse bombom?" 
"O que é bombom?" 
"É isso aqui!" 
"Não, isso é uma bala" 
"Ai, quero mais não. Não sou nem canhão pra engolir bala..." 


Cachorro quente:

No Rio cachorro quente é tudo, menos cachorro quente. Pode ser com lingüiça, ou salsicha. Ainda pode ter purê de batatas, carne moída, batata palha, parmesão, milho verde, passas e, pasmem, ovo de codorna!
Uma completa salada. O pão tem que ser gigante pra caber tudo isso.
Óbvio que experimentei. Só não com todas as iguarias disponíveis.

Comida tipicamente fluminense:

Ainda não fomos apresentadas. Na verdade, tudo o que se come no RJ é fácil de se encontrar no resto do país inteiro, mesmo que com outro nome. Exceto duas bebidas: Mate gelado e Guaravita (ou guaraviton)
Agora se tem uma coisa que eles amam é mate gelado. No RJ tem franquias de fast food de mate. Vende-se mate na grande maioria dos restaurantes. Bebe-se mate para acompanhar pão de queijo, ou qualquer outra coisa... No resto do Brasil se bebe mate gelado, mas o mate gelado daqui tem um gosto diferente...

E Guaravita é uma bebida em gás, à base de guaraná (a frutinha)... dooooooceeeeeeeeeeeeeee! Mas o povo aqui ama! Fazer o quê? Prefiro suco de cajá ou de graviola.

Nenhum comentário:

Postar um comentário