quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Romântico como um pedaço de gengibre

Diário de uma cearense apaixonada por um ogro...

Eu já escrevi pra vocês sobre ele (Ele é uma figura...). E ele realmente é uma figurinha carimbada.  Ele é o romantismo em pessoa (#SQN). Não pense que estou exagerando. Prometo que você vai chegar às suas próprias conclusões depois deste breve relato.

Ele nunca me mandou flores. Nem as de mentirinha. A primeira vez que me trouxe chocolates foi depois de 4 anos de casamento. Na Páscoa. A única jóia que ele me deu foi a aliança, e ainda sim tive que pressionar pra isso. Do contrário eu teria que pagar por ela. Cartinha? Recadinhos melosos? Declarações de amor em público??? é possível contar nos dedos de uma só mão.

No nosso primeiro dia dos namorados eu chorei, mas não foi de emoção boa. Foi de muita raiva. Quando eu entreguei o presente dele eu obviamente fiquei aguardando o meu. Mas não tinha presente. Quando o questionei ele me disse que dia dos namorados era uma besteira pros bestas gastarem dinheiro... hoje eu não tenho mais raiva disso. Porque, mesmo sem saber, todos os dias dos namorados ele me presenteia. Cartão de crédito serve pra essas coisas!

Mas não quer dizer que ele nunca tenha me dado voluntariamente um presente. Nada disso. Ele já me deu vários presentes. Alguns foram esquisitos, mas se não fosse assim não seria ele.

O primeiro presente que ele me deu foi bem no começo do nosso namoro. Marcamos pra ver um filme no cinema. Eu cheguei primeiro e fiquei aguardando por ele. Quando eu o vejo de longe ele traz um pacote nas mãos. Penso eu que seria uma caixa de chocolate... um doce diferente... sei lá! Mas não era. Pro meu espanto eram duas caixas de barra de cereais. Uma de maçã verde e outra de abacaxi. Não entendi se estava me chamando de gorda, ou se ele realmente achava que eu gostaria daquilo.

Outra vez ele chegou com uma caixa embrulhada grande. Pensei que era um porta jóias estilizado, ou uma roupa bacana. Fiquei empolgada.

Ele fez um teaser sobre o presente dizendo que era uma coisa que eu sempre quis ganhar... putz! Minha imaginação decolou. Muita expectativa eu fiz pelo belo pacote. Até que eu abri o embrulho. Pro meu espanto era um jogo de tabuleiro... :(  mais romântico impossível!

Ele é assim. Meio neandertal... ele me ama bem ao seu modo e eu aprendi a ler o que ele fala nas entrelinhas da sua forma de ser. Por isso dá certo o nosso relacionamento!

Eu tenho tanto pra compartilhar sobre as habilidades de conquista do meu maridinho... que vou preferir que você continue a leitura em outro episódio. Nada romântico, por sinal!

Nenhum comentário:

Postar um comentário