segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

A menina que tinha pressa de nascer...

Diário de uma cearense de resguardo...

Como era de se advinhar, e ainda sendo minha filha, Laís não poderia nascer sem gerar um espetáculo à sua volta. Poderia ter sido normal, como a maioria dos partos são. Prenatal, marca o parto, ou espera entrar em trabalho de parto... normal! Mas pra ela não!!! Já nasceu sendo como a mãe, "diferentona".

E ela nasceu. E a história do seu nascimento é cercada por milagres e providências divinas.

A minha gestação foi muito saudável. Ganhei o peso certo,  tomava vitaminas, fiz exercícios... descansei. Tuuuudo nos mínimos detalhes. Todos os exames perfeitos, pressão arterial de adolescente, nada de inchaço, um bênção.

Estava tudo certo pra que ela nascesse até 30 de março. Mas ela achou que iria demorar muito e resolveu nascer mais cedo.

No dia 26.02 estava marcado o prenatal de rotina. Quando o médico examinou constatou que havia reduzido consideravelmente o líquido amniótico. Ele pediu pra observar, beber muita água e fazer repouso total. Além disso, teria que voltar no dia 29 pra avaliar novamente.

E Laís pensou: "só que não,  dr. Eu vou nascer hoje!"

Ainda durante a tarde do dia 26 percebi que estava urinando muito. E resolvi ligar pro obstetra. Não consegui falar com ele nas primeiras tentativas. Porque estava fazendo alguns partos. Alguns mesmo.

Terminada a saga de partos ligo pro obstetra, explico a ele o que eu estava sentindo. E ele pede pra que vá ao hospital fazer uns exames.

A suspeita era de infecção urinária. Uma complicação, mas dava pra resolver.

Segui para o hospital, com pressa, do jeito que estava. Quando eu cheguei o obstetra estava só me esperando, exausto!

Começou a me examinar e me deu uma guia pra fazer exame de urina. Quando, por uma inspiração divina, associada à sua experiência profissional,  ele decidiu que era bom operar logo.

Perguntei se iria pro apartamento me internar pra operar no outro dia... pro meu espanto ele me respondeu: "não! Você vai ter bebê é agora."

Juro que faltou ar. O desespero quis aparecer... e até deu um pouco as suas caras.

Fiquei preocupada com a menina, preocupada porque não estava em jejum, preocupada porque as malas tinham ficado em casa... preocupada porque não tinha nem dado entrada no hospital... minha cabeça ficou a mil por hora em poucos minutos. Eu achei que ia desmaiar, mas resisti.

Na sala de cirurgia, tudo correndo como o protocolo pede... Laís surge. Com 35 semanas e 5 dias, 2.495 kg e 46 cm.

Ainda meio grogue ouço o médico dizer: "ainda bem. Ela não tinha mais nenhuma gota de líquido amniótico. Se nascesse amanhã a história dela seria outra."

Pra glória de Deus Laís nasceu perfeita. Não foi pra UTI, não foi pra encubadora e agora está em casa começando a curtir sua vida do lado dos pais, tios, avós e amigos...

Um comentário:

  1. Ai que história linda e Parabéns pra vcs e curtam bastante ela porque passa muito rápido.rsrs

    ResponderExcluir